terça-feira, 18 de outubro de 2016

Esquadrão anti-fumo



Acredito que todo tabagista já foi interrogado, pelo menos uma vez na vida, por algum integrante do esquadrão anti-fumo. Eles estão espalhados pelas cidades, nas ruas, bares, restaurantes e empresas e possuem um único objetivo: questionar o porquê você não para de fumar. Ainda no esquadrão anti-fumo temos um personagem que parece superior a todos os outros interrogadores, mais insistente, mais questionador e, claramente, mais chato: o ex-fumante.
Alô alô não fumantes e ex-fumantes do esquadrão anti-fumo que estejam por aqui: ESSE DISCURSO NÃO SERVE PRA NADA E NÃO AJUDA NINGUÉM!
(Yeaaaahhhhh... sempre quis fazer essa declaração, estava entalada na garganta há anos. Ufa!)
Sério. Não ajuda. Acreditem! Em primeiro lugar: esse interrogatório aparece sempre em momentos nos quais não queremos falar a respeito. A gente vai na calçada, estava horas sem fumar, finalmente tem os minutos de relaxamento e aparece um mala sem alça perguntando se a gente nunca pensou em parar. Cara! Ou então vai na padaria, bar, boteco comprar um cigarro e o caixa faz a declaração "não fuuuuma". Cara! A gente está parado, fumando um cigarro, um transeunte passa entre nós e solta um cochicho "Fuma não, fuma não". Cara! Se manquem!
Os ex-fumantes são os piores. Além de usarem o velho bordão de parar de fumar eles se utilizam do fato de terem parado para tentar te dar mais apoio. É aí que eu me pergunto: ele não lembra do esquadrão anti-fumo e de quanto isso é chato?
De verdade, eu não conheço ninguém que resolveu parar de fumar porque foi abordado com essa solicitação rasa e chata. Se conhecerem alguém, por favor me apresentem. Que fique claro de uma vez por todas: a pessoa vai parar de fumar quando ela colocar na cabeça dela que pretende parar (ou, mais tragicamente, quando ficar doente). Não adianta contar história trágica, não adianta falar que ela é tão bonita e não deveria fumar, não adianta nada disso. Mais ainda: o fumante sabe que o cigarro faz mal, tá? E causa todas as doenças e tudo mais. Não precisa que você do esquadrão anti-fumo conte essa "novidade" para ele.
Lembro uma vez no trabalho um cara da empresa, antes de uma reunião, virou pra mim na frente de todo mundo e disse: "Não vai cumprimentar ninguém? Aposto que é porque está cheirando cigarro". Adivinhem? Ex-fumante. Claro! Agora eu pergunto: isso me ajudaria a parar de fumar?
Uma vez também eu fui sair para fumar e me questionaram: "Vai fumar de novo? Pô". Fui fumar sim e para garantir fumei dois: um para descontar a raiva desse questionamento idiota e outro porque era o cigarro que eu ia fumar inicialmente,
O que eu poderia sugerir para você, inconformado com o fato de que as pessoas fumam é que quando um fumante sinalizar que tem intenções de abandonar o vício, acolha-o e escute o que ele tem a dizer. Simples assim! Eu sinto muito te informar, você não vai conseguir convencer ele com o discurso chato e a solicitação irritante. Pode ser que esse tabagista que esteja na sua frente não parou de fumar por insegurança, por falta de apoio, por medo... você já parou para pensar nisso? Mais ainda, para enfrentar tudo que ele vai enfrentar ele vai precisar de apoio, carinho e compreensão. A última coisa que ele precisa é de uma série de questionamentos e lição de moral. Se ele não quer parar, deixa ele, não enche, por favor!
Eu precisava escrever isso tudo. Estava entalado na minha garganta há anos! Além disso, agora que parei de fumar a gangue de ex-fumantes do esquadrão anti-fumos está me perseguindo e finalizo o texto com uma promessa: eu não vou ser a ex-fumante chata. Prometo! Eu entendo os fumantes, afinal de contas eu fui uma! Estamos juntos!


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...