Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 15 de dezembro de 2018

A vida é uma caixinha de surpresas!

O projeto maratona entrou na minha vida de última hora. Eu nunca imaginei que correria os 42k um dia, muito menos esse ano. Foi um acontecimento tão de repente e tão incrível que nas semanas seguintes eu vivi uma emoção difícil de descrever. 

Foram dias sem igual, sonhando acordada, muito, mas muito feliz e realizada comigo mesma. Minha vida mudou para sempre, passou a existir uma nova Carol depois de atravessar aquela linha de chegada.... e em muitos sentidos... porque no início de setembro, um mês depois da maratona, eu descobri que estava grávida!

EXFUMANTE, MARATONISTA E MÃE. MÃE!

Primeiro, o susto. Depois, as lágrimas de emoção. Até hoje, as lágrimas! Meu marido e eu já estávamos pensando na ideia, mas ainda não tínhamos decidido quando realmente iríamos tentar. Não deu nem tempo, o babyzinho foi mais rápido do que nós (filho/a de maratonista, né?) e no dia 10 de setembro o teste da farmácia deu positivo. Curiosamente, se minha mãe estivesse viva seria aniversário dela. A vida é ou não é uma caixinha de surpresas?

Levei alguns meses para conseguir escrever esse post e dar a notícia. Resolvi esperar passar o calor da emoção para escrever aqui, mas eu percebi que se eu realmente for esperar isso eu não vou escrever nunca, pois a maternidade me deixou ainda mais sonhadora e ainda mais com a cabeça nas nuvens. Não sei se um dia vou conseguir falar sobre isso sem o calor da emoção... e também sem lágrimas nos olhos, porque eu já parei um bocado de vezes aqui nesse texto para enxuga-las.

Eu me sinto muito agradecida e privilegiada por poder gerar uma vida. É lindo demais saber que em breve virá mais uma pessoa para viver comigo e o homem que eu amo e aumentar nossa família. Eu me pergunto se eu sou merecedora de tudo isso, porque a vida tem me abençoado tanto e de forma tão grandiosa que fico sem palavras e sem reação.

Sobre o cigarro... se eu já não queria saber dele antes, agora com um bebê que a ideia de fumar está absolutamente extinta da minha vida. Nem com bebê dentro e nem fora da barriga. Adeus cigarro!

Mais do que isso: é um alívio poder passar pelo momento mágico da gestação sem me preocupar com esse assunto. Fico pensando em como deve ser difícil lutar contra o vício estando grávida, com tantas mudanças no corpo e com o peso na consciência de enfiar fumaça toxica em uma vida tão frágil e tão inocente. Aliás, foi esse um dos motivos que me fez dar o pontapé inicial no Projeto Parar de Fumar, lembram? Podem ir lá nos primeiros posts ver. Eu morria de medo de ter que parar de fumar na gravidez. Para mim é um alívio gigante não ter que me preocupar com isso!

Continuarei dando notícias, pelo menos até maio, quando está previsto o nascimento do meu bebezinho. Se é menino ou menina? Teremos que esperar até lá para descobrir. Para mim só uma coisa importa: que ele/a tenha saúde. O sexo descobriremos na sala de parto, quem vai contar para a gente é o próprio baby. Aguenta coração!

Até a próxima pessoal!

Carol – Ex fumante, maratonista e mãe!




4 comentários:

  1. Parabéns!!!
    Já li seu blog quase inteiro e foi ele que me inspirou a também eu parar de fumar. Hoje completa uma semana sem! Morro de medo de que essa vontade que eu sinto nunca acabe rs (risada de desespero). Valeu pelas postagem e não pare de escrever que é muito bom!!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Muito obrigada!
    Fico feliz em saber que inspirei você nessa decisão. =)
    Pelos meus cálculos e pela demora que levei em retornar, você deve estar rumo ao segundo mês, não é mesmo? Espero que sim! Estou na torcida!!
    Nessa alturas as fissuras devem estar mais controladas!!
    Depois volta para contar como tem sido!
    Um super abraço com carinho,
    Carol e Baby

    ResponderExcluir
  3. Descobri esse blog por acaso na semana passada. Você ainda continua sem fumar? Decidi no começo desse ano que pararia, tenho 22 anos e comecei a fumar com 18. Meus pais são fumantes e comecei por curiosidade. Sou viciada no Marlboro vermelho kkkkk, mas como faço estágio em um escritório de advocacia, uso o vaper no trabalho e fumo apenas em casa.
    Pretendo parar, mas sei que será difícil com meus pais fumando em casa. Seu marido também fuma? Se sim, como conseguiu aguentar com ele perto? Kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!
      Sim, sigo firme e forte sem fumar. Sabe que no geral eu até esqueço que fui fumante um dia? E quando lembro acho estranho me ver como fumante. Quem diria!
      Meu marido não fuma, isso realmente foi de grande ajuda. Por outro lado, quando parei a maioria das minhas amigas eram fumantes e convivia com elas numa boa. Claro, nas crises e abstinência o que eu mais queria era fumar com elas, mas eu sabia que precisava me manter forte. Quer saber? Depois que parei a maioria seguiu o meu caminho e hoje são poucas as fumantes. Quem sabe quando você parar seus pais não se influenciem com você também? =)
      Aproveita que você é tabagista há pouco tempo e já tira isso do seu caminho, não faça como eu que esperei passar 14 anos para comprar essa briga. Fica muito mais difícil!!
      Desejo sucesso no seu "Projeto Parar de Fumar" e se puder depois volte aqui para contar se conseguiu parar e como está indo.
      Beijos
      Carol

      Excluir