Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Esquecendo que fui fumante um dia...



Dia desses me dei conta de que eu tenho esquecido de como era ser fumante. Que loucura!

Natural que com o passar do tempo a nossa memória faça um processo seletivo natural de "coisas importantes vs coisas inúteis" e faça uma limpeza no nosso HD interno. Só que o cigarro era algo tão presente e, achava eu, tão importante na minha vida que é um susto perceber que meu passado fumante está sendo deletado da minha memória assim tão rápido.

Eu quase não lembro de como era a minha vida com o cigarro e para um susto maior ainda: eu muitas vezes esqueço que fui fumante um dia!

Claro, tem o blog, as redes sociais do blog, o assunto também é muitas vezes presente na minha roda de amigos e tudo mais, mas o que digo é que no dia-a-dia, na minha boa e velha rotina, o cigarro e tudo que me remetia a ele não vem mais me perturbar.

Por muito tempo eu observava as coisas e fazia muito o comparativo da minha versão tabagista vs versão 2016 smoke free. De repente tudo isso foi embora. Puft, sumiu!

Até mesmo no carro... ah, que verdadeiro perrengue foi o desafio de dirigir sem fumar. Passado o baque veio o desespero de sentir o cheiro do cigarro lá dentro por meses e meses e meses. Escrevi tanto sobre isso aqui no blog. Um belo dia também, puft, desapareceram o cheiro e as lembranças!

Eu gostava tanto de fumar, era um imenso prazer dividir o meu tempo com o cigarro e eu nunca, nunca, nunca pensei que um dia ele não estaria mais presente nos meus pensamentos. Imaginei que viveria uma espécie de saudosismo velado ou algo do tipo. Por isso que toda essa nova situação para mim é uma grata surpresa. O fantasma do vício não vem mais me visitar há bastante tempo, a ponto de me fazer esquecer que ele existiu um dia!

É... eu parei de fumar e as conquistas se superam cada vez mais! Se antes eu dizia "não acredito que estou conseguindo" hoje essa frase tem se transformado em um espantoso "Não acredito que fui tabagista um dia.". Pasmem!

Feliz dia que eu tomei a decisão que mudaria tanto a minha vida. Que bom que eu insisti, que bom que eu segurei firme e acreditei que poderia vencer esse monstro do vício. Viva a vida! Sobretudo, VIVA A VIDA SEM FUMAÇA!

E vamos em frente!

9 comentários:

  1. Voltando lá no início da sua história de quando você começou a fumar, como foi que você contou para sua família que você estava fumando? Qual a reação deles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então... na adolescência meus pais desconfiaram que eu estava fumando e vieram me perguntar para confirmar. Eu disse que sim. Aí ficou um clima constrangedor no ar e nunca mais foi tocado no assunto.
      Alguns anos depois, eu morava fora do Brasil e minha mãe foi passar um tempo comigo. Como íamos passar o tempo todo juntas e eu não estava muito a fim de dar uns perdidos para fumar, resolvi ser bem franca e dizer "eu fumo, posso fumar com você?". Como minha mãe era fumante também, não tinha muito o que dizer e foi a partir daí que além dela saber, ela também me via fumando.
      Nunca tive coragem de falar isso para o meu pai e nem fumar na frente dele. Sei lá porque... talvez porque ele nunca foi fumante, não sei.
      De qualquer forma essa história até renderia um post! ;)

      Excluir
  2. Esse é o fato que afirma com toda a certeza que você jamais vai voltar a fumar, carol!!
    Livre para sempre, graças a Deus!

    ResponderExcluir
  3. Deve ter esquecido que possui um blog...rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leco!
      Não esqueci não, de forma alguma!
      O que acontece é que ultimamente tenho interagido mais nas redes sociais do blog. Deixo um convite para visitar a página no Facebook ou Instagram. Lá sim eu posso dar notícias muito mais frequentes. ;)

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir