quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Mãe, 09 anos sem você!


Foi em um 16 de agosto que minha mãe faleceu... e lá se vão 09 anos desde então! Já falei aqui em outro post, ela teve câncer no pulmão e era tabagista, muito embora tivesse parado de fumar antes de saber do tumor. 

Há um intervalo de duas semans entre o dia de hoje e a minha data em que parei de fumar. Agora um pequeno segredo: eu ia parar de fumar no dia 16 de agosto do ano passado, o mesmo dia que marca o falecimento da minha mãe!

Estava decidida, não sabia como ia fazer, mas não ia conseguir passar por essa data mais um ano como tabagista. De jeito nenhum! Conforme a data se aproximou eu fui ficando cada vez mais assustada e quando o dia chegou eu fiquei com medo e desisti. Ao mesmo tempo eu passei o dia todo com peso na consciência. Todo ano eu ficava, mas no ano passado foi diferente, talvez por ter sido a primeira vez em que a vontade de parar de fumar realmente falou mais alto. 

Apesar de ter fugido da data, não desisti da ideia. Decidi me dar mais 15 dias para me organizar melhor, procurar um método que me ajudasse, conversar com minha médica, meu marido... e o resto da história... bom,esse blog conta com mais detalhes!

No fundo eu acho que foi melhor assim. Cada data uma história e uma memória. Além disso o meu atraso de 15 dias me fez parar de fumar no Dia Nacional de Combate ao Fumo. Eu fui descobrir isso só depois... certeza que tem um dedinho da minha mãe aí!

Hoje faz 09 anos em que eu vi minha mãe partir e sofri muito! Vi com meus próprios olhos o resultado de uma doença causada pelo cigarro e senti na pele a dor dos que ficam, dos familiares que olham uns para os outros com cara de perdidos e perdidos ficam por anos e anos e anos. Nunca entenderei como o meu vício conseguiu ser mais forte do que as cenas hororosas que vi da doença que minha mãe enfrentou.

Em uma das últimas conversas que tivemos ela me disse: "Filha, se tudo isso que eu passei servir para fazer uma única pessoa parar de fumar, já valeu a pena!" em uma referência direta (e chocante) a mim. Foi horroroso ouvir isso dela, acima de tudo no hospital. Nunca mais tivemos tempo de conversar a respeito... é incrível a velocidade de um tumor.

Então hoje em sua memória  levarei para frente os seus mesmos dizeres mãe, apenas em um outro contexto: Se esse blog servir para alguém conseguir parar de fumar, já valeu a pena ter me exposto assim e ter exposto a nossa história. Desafio lançado, agora é com vocês leitores!


Saudades para sempre mãe! 💕

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Sobre dormir e acordar descansada!



Foram muitas as mudanças que tive desde que parei de fumar e hoje vou falar um pouquinho do que senti com relação ao sono e disposição física. Já falei sobre isso em outro post, mas vou deixar registrado também como tem sido agora, 11 meses depois!

Já há algum tempo percebo que eu consigo dormir e realmente descansar. Aquele sono de repor as energias mesmo, sabe? Eu me lembro que nos tempos de tabagismo eu vivia cansada, sentia que passava o dia me arrastando e para piorar, quando chegava a noite eu deitava não conseguia dormir! Não bastando, eu acordava cansada e assim os dias e noites passavam em uma cadência horrorosa de cansaço e noites mal dormidas.

Sem fumar tudo isso foi mudando. No primeiro e segundo mês ficava um pouco desregulado, dormia até demais da conta. Depois parece que tudo entrou nos eixos. Consigo deitar na cama, esperar um pouco e dormir, o que pra mim tem sido uma novidade realmente muito agradável. Com isso acordo bem mais disposta, o que reflete também no meu humor matinal! Também passo o dia com muito mais energia do que antes, o que é muito novo para mim e é algo que tenho gostado muito!

Sempre tive dificuldade para acordar cedo e embora eu admita que ainda não seja a melhor pessoa para isso, depois que parei de fumar eu consigo levantar bem mais cedo do que eu tinha costume. Para o meu choque: muitas vezes por vontade própria!

Foram anos e anos levantando quase ao meio-dia nos finais de semana e ainda assim sentindo que eu poderia passar mais um tempão deitada, por cansaço mesmo. Acabava levantando por uma única preocupação: "se eu enrolar mais na cama a noite não consigo dormir". Quando eu finalmente levantava eu fazia o que? Fumava um (vários) cigarro (que até hoje admito que era o melhor do dia hehe) e me entupia de café, tentando estimular um corpo que mal havia descansado.

Atualmente o pensamento na hora de dormir é "vou acordar cedo e aproveitar o dia" e para o meu espanto faço isso feliz e de livre e espontânea vontade (estou p-a-s-s-a-d-a com a minha versão matinal!). Acordar com calma e me preparar para um novo dia com tranquilidade é algo muito bom. Percebo que como consequência eu tomo até bem menos café! Nem só pelo fato de não fumar, mas também porque meu corpo está carregado de energia, não preciso mais me estimular tanto!

Eu também sempre tive bruxismo, passava a noite rangendo os dentes e já inclusive trinquei um enquanto dormia, assim como quebrei alguns aparelhos de dente por conta disso. A minha versão smoke free me fez até dispensar o uso da placa que eu usava para não bater os dentes e nunca mais acordei com nenhuma dor relacionada a isso. Até disso tive liberdade!

Quando tomei a decisão de parar de fumar eu imaginava que teria inúmeras alterações em mim, mas são casos como esse que me fazem pensar no grau de influência em minha saúde que o cigarro tinha. Nem dormir mais me fazia bem e eu nunca tinha parado para pensar na relação entre as duas coisas! Chego a ficar assustada com essas constatações! Numa boa? Isso pra mim não era um jeito bom de se viver, principalmente agora que experiencio o outro lado da coisa.

Por essas e outras que eu prefiro a minha versão sem tabaco. Uma versão mais leve, mais tranquila e muito mais feliz! Fumar de novo aliviaria a minha abstinência, não tenho dúvidas, mas me traria de voltas noites mal dormidas, olheiras, cara de cansaço e um caminhão de coisas que eu nunca havia reparado que me matavam sim aos poucos! Eu não quero isso pra mim!

Viva a vida sem fumaça!
Até a próxima pessoal!

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Sobre recaídas



Ao longo do meu projeto parar de fumar foram diversos os momentos em que no meio do caminho alguém tropeçou. Desde um único cigarrinho "inocente" (nunca é!) até aqueles que recaíram de vez e voltaram a fumar. Regra geral, recaídas me reforçam a ideia de qualquer único trago pode levar todo o sacrifício por água abaixo.

Pelo que tenho me informado por aí é muito mais comum recair do que se imagina. Todos nós ex-fumantes estamos sujeitos a isso e sabemos disso. É preciso ter cuidado constante!

Eu fico triste quando recebo a notícia de alguém que recaiu e geralmente a pessoa não fica muito feliz com o acontecimento também. Por outro lado, dos casos que acompanhei também notei que todos fizeram uma nova tentativa algum tempo depois.

Como nós no processo de parar de fumar dizemos uns aos outros "Aprenda com o que te fez cair e vamos tentar mais uma vez"! Uma nova tentativa é sempre válida, seja ela a segunda, terceira, quarta...não importa se não deu certo de primeira, o que não pode é desistir de vez. Somos capazes, temos que lembrar sempre disso!

Um pensamento que me ajudou a segurar firme foi o de "Se eu recair vou ter que passar por isso tudo de novo na próxima vez" e eu sofri muito no começo e me lembro muito bem disso. Essa frase me ajudou demais, toda vez em que a ideia de fumar um cigarro vinha me visitar eu lembrava da angústia das primeiras semanas, então ficava mais fácil dizer "Não".

Estou perto do 01 ano sem fumar e fico feliz de ter chegado até aqui invicta!  Agora o pensamento da vez é "Recair vai me levar de volta à vida antiga" e a vontade que eu tenho de ser tabagista mais uma vez? Zero!

É isso aí, vida que segue! Vamos em frente, mas sempre com cautela! Até a próxima pessoal!

sábado, 29 de julho de 2017

11 meses sem fumar!

11 meses sem fumar, quem diria!!!



Estou bastante emocionada com essa comemoração! Todas as outras, dos outros meses, foram especiais, mas essa tem um gostinho diferente... provavelmente por ser a última "mensal". É uma alegria nova no ar! A próxima será a de 01 ano e a ficha vagarosamente começa a cair.

Eu pouco me lembro da rotina de fumante, minha vida mudou em inúmeros sentidos e eu de verdade só tenho alegrias desde então! Quanto coloco na balança o "fumar ou não fumar" vejo que o único motivo que me levaria a acender um cigarro é aliviar uma abstinência que está praticamente enterrada. No mais, só benefícios! De verdade!

Já que toquei no assunto, vamos falar um pouco sobre a minha abstinência. Eu não sei se o desejo de fumar deixou totalmente de existir, mas acredito que aprendemos a conviver um com o outro e sermos felizes! Não é o desejo que eu tinha quando eu era viciada, fissuras nunca mais apareceram, mas vejo que é uma inquietude que as vezes vem me saudar. Assim como surge, vai embora e não causa dano nenhum. Simples assim!

Começo a entrar em um clima de comemoração pelo primeiro ano que está por vir e estou extremamente feliz! Vencer um monstro é uma tarefa muito complicada e que exige demais de nós e eu faço questão de comemorar cada momento!

Vida que segue e eu sou uma Carol muito feliz, como nunca antes!

Até a próxima pessoal!

quinta-feira, 27 de julho de 2017

A foto de 1 ano atrás!



Há algumas semanas eu recebi uma daquelas "Lembranças do Facebook" e a foto do dia me chamou a atenção. Para quem olha é apenas uma janela de um trem, com alguns itens em cima da mesa e mais ou menos isso. Aliás, quando tirei a foto era para ilustrar apenas isso mesmo, que eu estava viajando pela Escócia e que estava tudo bem. Um sinal de vida via rede social para quem estava acompanhando a viagem. Só que a foto vai um pouquinho mais além, ainda que no dia eu nunca pudesse imaginar (ou talvez inconscientemente sim, vai saber!).

Alguns momentos antes dessa foto eu aproveitei que o trem tinha internet e resolvi me conectar um pouco para passar o tempo. Foi então que eu recebi a mensagem das minhas amigas me convidando para correr a São Silvestre. Eu tenho um post aqui no blog que detalha melhor o convite, o meu medo de aceitar e o aperto que me deu em saber que fumando como eu estava eu não iria conseguir, pelo menos não de um jeito agradável (segue o link do post).

Como eu estava com o celular em mãos, após a conversa via whastapp resolvi tirar uma foto ilustrativa da viagem e esse é o resultado. (Aliás, foto bem mais ou menos diga-se de passagem!) Feliz ideia de registrar esse momento!

Hoje, um ano depois dessa viagem e desse convite eu olho para essa foto e penso em como eu não imaginava que foi aí que o "Projeto Parar de Fumar" começou a nascer. Confesso que nessa época o desejo de me tornar ex-fumante já existia, mas faltava sempre o empurrão decisivo para colocar isso em prática. De certa forma esse empurrão foi dado aí!

Por isso que quando essa foto apareceu para mim agora um ano depois eu achei curioso e fiquei agradecida por ter tirado ela nesse dia! Resolvi compartilhar a lembrança por aqui também e mais um pouquinho da história de como eu parei de fumar!

A vida é uma caixinha de surpresas!

Até a próxima pessoal!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Convite para quem quer parar de fumar!

Pessoal,vim compartilhar com vocês uma informação que me deixou muito feliz e que é também um convite para aqueles que querem parar de fumar!

O centro espírita que frequento vai ter agora no segundo semestre uma série de encontros para quem deseja parar de fumar! Seguem as informações!


Divulguem! Divulguem!
Local:
Centro Espírita Irmão X
Rua Eduardo Ferreira França, 664 - Vila Moraes
São Paulo - SP  Fone: 5058-6960


Eu fiquei tão feliz quando vi o cartaz lá no centro! Poxa, quem me dera tivesse isso quando eu parei de fumar, que incrível!

Estou em busca de mais informações do funcionamento desses encontros e assim que eu descobrir coloco aqui para vocês. De qualquer forma resolvi adiantar a novidade, pois assim quem se interessar já vai organizando a agenda!

O que posso adiantar por enquanto é: não precisa ser espírita para participar (assim como em qualquer outra atividade do centro), a atividade é totalmente gratuita e o centro ficará muito feliz com a sua participação. Adoramos a casa cheia!

Pelas "coincidências" da vida eu trabalho na sala de passes no mesmo dia e horário dos encontros (podem ir lá me visitar que ficarei muito feliz com a visita também!). Vou ver como vou conciliar as duas coisas, porque estou super entusiasmada e quero muito participar desse encontro tabagista de alguma forma.

O Departamento de Cursos está de férias agora em julho, assim que eles voltarem vou me informar melhor. Vai ser incrível!

Deixei as informações também na aba "Material de apoio ao ex-fumante" aqui do blog, atualizarei os detalhes por lá também conforme eu souber de novidades. Vou avisando também via Facebook e Instagram (@projetoparardefumar) do blog.

Fica a dica e o convite! Nos encontramos por lá!! 😌

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Domingo é dia de corrida - 10 meses depois

Domingo passado foi dia de marcar presença em mais uma etapa do Circuito das Estações. Já falei dessa corrida por aqui em outras ocasiões e é uma prova que eu gosto bastante, além de considerar um clássico de corrida de ruas.

Foi em uma etapa dessas provas que eu fiz a minha estreia no mundo da corrida de rua, então tenho um carinho especial por ela. Além disso o percurso é bem perto de onde moro, posso ir a pé para a linha de largada, uma coisa nem sempre possível aqui em São Paulo. Por essas e outras que sempre que possível eu tento marcar presença em uma das etapas, ou em algumas, como esse ano em que estive presente na etapa Outono e na Inverno, no último final de semana.

Geralmente essa prova tem dois percuros: 5k e 10k. Do ano passado pra cá a organização incluiu novas distâncias em algumas etapas. Nessa que eu fui domingo além dos 5k e 10k tinha um trecho de 16k e foi nele que resolvi me arriscar, até porque já serviria como um treinamento para a meia maratona que está por vir.

Com frio na barriga, um pouco de medo, 12ºC de temperatura, chuva e vento lá fui eu! Boa parte do percurso era exatamente o mesmo que fiz na São Silvestre, então teve um momento de nostalgia enquanto eu corria. Quer dizer, foi saudoso até eu ver o monte de viadutos que eu tinha que subir e descer e aí lembrei o quanto seria sofrido... hehehe.. mas vamos que vamos!

Além disso, enquanto corria foi passando um filme na minha cabeça sobre todas as vezes que fiz alguma outra etapa do Circuito das Estações. Lembrei de como eu ainda nos 5k olhava o pessoal dos 10k e imaginava que eu nunca faria aquilo. Também me recordei da primeira vez que fiz os 10k e meus olhos se encheram de lágrimas no meio do percurso ("Euzinha nessa distância, uau!") e também pensei bastante no quanto eu sofria para respirar quando corria longas distâncias e achava que teria um piripaque respiratório súbito. Também me recordei de quando de certa forma decidi desistir desse esporte, entre ele e o cigarro o fedorento ganhava em todos os quesitos, bizarramente!

Enquanto pensava nisso e em um monte de outras coisas a quilometragem rodava e quando eu estava por volta do 12 km eu me dei conta de que aquilo era real e eu estava fazendo minha estreia em uma nova distância! Mais do que isso: eu me sentia bem correndo! Eu estava feliz!

Para coroar a minha manhã de corrida tive uma última surpresa ao terminar a prova. Meu tempo! Eu havia diminuído o meu pace (ritmo de corrida) e terminei a prova em um tempo menor do que eu imaginava! Foi uma alegria sem tamanho!

Evolução do meu pace desde que parei de fumar!
Etapa Primavera - 10k; Etapa Outono 10k; Etapa Inverno 16k

Já falei diversas vezes, não me cobro demais quando o assunto é corrida! Lógico, quero um resultado bacana (quem não quer?), mas não sou super exigente comigo mesma, até porque, convenhamos, eu não sou a madame disciplina quando o assunto é treino. Mesmo assim é extremamente gratificante saber que evoluímos! O print acima são das etapas do Circuito das Estações que fiz desde que parei de fumar e é nítido o quanto meu desempenho melhorou nessa vida sem fumaça! Para mim é uma recompensa e tanto ver esse tipo de resultado!

Se os números não mentem, as fotos menos ainda. Encerro esse post com uma breve sessão de fotos minhas em outras etapas dessa mesma prova. Vocês vão concordar comigo, entre a primeira foto (fumante) e a última (não fumante - 10 meses livre de cigarro) alguém tem alguma dúvida de que a corrida ficou mais prazerosa?  
Respire Carol e seja feliz!
Até a próxima pessoal!

Fumante (14 anos de fumaça)

Ex-fumante (06 meses sem fumaça)

Ex-fumante (10 meses sem fumaça)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...